Acho que todo mundo já ouviu essa frase. Eu ouvi muuuuuito essa frase. Para quem não sabe, eu iniciei a Faculdade de Educação Física, na UFMS, turma de 1999 (UAU!) e por “n” razões do destino, cursei apenas o 1º ano do curso. Porém, uma das mais chatas e temidas matérias do 1º ano era a de Fundamentos Históricos-Filosóficos da Educação Física, ministrada na época pelo conhecido Profº. Finocchio. Minha nossa, a matéria e o professor eram tão chatos (desculpa aê Finocchio) que eu não matava nenhuma aula só para não correr o risco de pegar DP dessa matéria.

Vocês devem estar pensando: Mas por que danado a Juliana resolveu falar de tudo isso? Porque aquela aula chata pra cacete, que eu achava que não serviria de nada para a minha vida na verdade serve para muita coisa e é a base da filosofia que resolvi adotar há alguns anos. Mesmo depois de tantos anos, eu ainda lembro de várias passagens das aulas do Profº. Finocchio (nada como prestar atenção na aula, né, gente) e essa coisa toda de Mente Sã, Corpo São é o que me faz querer me exercitar sempre. Claro que o culto ao corpo, que também estudamos nessa mesma matéria, faz parte do mim e do que eu busco. Mas o que eu quero ressaltar aqui é como corpo e mente precisam estar em equilíbrio, quando a mente não está saudável, ou corpo não trabalha direito e vice-versa.

Imagino que vocês devem estar se questionando sobre a razão da profundidade das linhas acima. Será que a Juliana ainda está sob o efeito da cachaça ingerida no carnaval? Ou será que a Juliana foi abduzida por algum Filósofo? Brincadeiras à parte, tudo isso é para falar um pouco sobre o meu atual momento.

Venho de um 2015 intenso e atrapalhado onde eu não consegui encaixar as coisas que me propus fazer. Passei o ano de 2015 tentando retomar os meus treinos com #focoforçaefé e não consegui, tentando retomar minha alimentação saudável e não consegui. Tentei “me livrar” de tudo aquilo que eu achava que emanava energia ruim, e pensei: agora vai! E aí que no meio de dezembro recebemos a notícia do falecimento do meu cunhado no maior susto, no meio da noite, no dia que foi ao ar o post que eu falava sobre o foco de maridôncio com os treinos e dieta. Foi aí que eu vi que sozinha eu não estava conseguindo me reencontrar, e resolvi procurar a ajuda de uma terapeuta para me auxiliar.

Eu fiz terapia há alguns anos, então já conhecia as maravilhas proporcionadas quando você tem um profissional competente te acompanhando. Marquei a sessão e enquanto esperava (ansiosamente) o dia chegar, fiquei imaginando quando tempo eu demoraria para conseguir ter minha energia de volta. O que mais me incomodava era o fato de não ter força para realizar aquilo que eu queria. A terapeuta que eu vou faz tratamento com o auxílio dos Florais de Bach e eu levei 1 semana para mandar fazer meu floral e começar a tomar. E por incrível que pareça, 5 dias depois do início do tratamento com o floral eu consegui levantar às 5:30 da manhã para ir treinar, coisa que eu não conseguia fazer há quase 2 anos. E não foi só um dia, foi quase a semana toda (na sexta que eu não consegui ir foi porque eu treinei 2x na quinta e não conseguia levantar o dedo na sexta cedo).

Eu quis contar essa minha história pra vocês pra mostrar que não existe esse lance de que a grama do vizinho é mais verde que a nossa. Todos nós temos problemas e em algumas fases da vida nós conseguimos lidar com eles sozinhas, com ajuda de amigos (o tanto que atormentei Carô ano passado, veshiiiii), em outros não. O que nós temos que lembrar é que o corpo e mente precisam estar sãos. Não existe mente sã sem corpo são (e vice-versa). Viver na inércia, na frente de uma tela (seja ela qual for) não é saudável. Sabe esses memes por aí sobre o Netflix? Fuja correndo do sofá no caso de qualquer semelhança.

O Acordei Disposta e os compromissos que firmo por aqui com vocês funcionam como “chicote” para que eu não fique parada. Quando interagimos sobre uma meta, uma dica ou qualquer outra coisa, tudo fica mais leve e mais gostoso.

Bora trocar experiências? Bora me ajudar a chegar no meu #projetovidainteiraemmovimento o quanto antes para eu ter alta da terapia? Você me ajuda daí que eu te ajudo daqui, topas? 😉