Oi meu nome é Juliana e minha filha mais velha, a Rafaela, é portadora de Dermatite Atópica 😉 Para quem está chegando agora, vou contar um pouquinho como foi que descobri que essa doença existe.

Quando a Rafaela tinha uns 10 meses, ela começou a coçar muito os punhos, a ponto de ficarem muito machucados e sangrando. Foram muitas consultas no Pediatra, muitos cremes, suspeita de Escabiose (pra quem não sabe isso é o nome científico da sarna) por parte da pediatra e nada da minha filha melhorar. Quem convivia comigo na época pode acompanhar de perto o meu desespero e o do Renato. Rafaela que até então dormia no bercinho dela, passou a dormir na nossa cama porque tinha crises sem fim de coceira à noite.

Um pouco antes dela completar 1 ano, levei em uma alergo-pediatra que na mesma hora suspeitou que era alergia à proteína do leite. Quase pirei tentando excluir tudo o que pudesse ter traço da proteína, mudamos para o leite super caro e nada dela melhorar. Fizemos um teste de sangue e um teste de contato nela para tentar detectar alguma alergia e além da alergia à clara do ovo, não houve melhora, nem nada que esclarecesse tanta coceira.

Quando a Rafaela tinha 1 ano e 3 meses eu resolvi que aquela situação não estava certa e que eu mesma ia resolver aqui. Sentei no computador, digitei no google todos os sintomas da Rafaela e pelas fotos, a doença mais provável era a Dermatite Atópica. Nesse mesmo dia, achei o site da AADA – Associação de Apoio à Dermatite Atópica achei um link com o nome de vários profissionais que fazem parte da Associação e liguei no consultório de cada uma deles para saber o preço da consulta e a agenda deles. Até que marquei uma consulta com o Dr. Mário César Pires.

shutterstock_279539993

O bracinho da Rafa ficava mais ou menos assim. Foto: Eczama na pele de criança por Shutterstock

Chegamos no consultório e encontramos um senhor, calmo que ouviu calmamente toda a história que 2 pais desesperados tinha para contar e disse: “sim, ela tem dermatite atópica”. Saí de lá com uma relação enorme de conselhos, remédios, pomadas e hidratantes para usar na Rafaela. Nessa época, a Rafaela está no meio de uma crise de dermatite, toda machucada. Os machucados estavam atrás dos joelhos e na parte da frente dos cotovelos. Ou seja, em todas as dobras (esse é um sinal muito importante de que é dermatite, machucados nas dobras).

Eu pesquisei todos os hidrantes que ele havia me indicado e acho que nessa época tinha alguém nos EUA que trouxe o Cetaphil pra mim. Hidratação de Cetaphil 3 vezes ao dia + toda a medicação que ele passou, fez com que a Rafaela saísse da crise e ficasse sem nenhum machucadinho na pele. Lembro que nessa época, eu e o Renato éramos neuróticos com ela, nossa vontade era colocá-la dentro de uma bolha.

Mas o que é a Dermatite Atópica? 

Dermatite Atópica é uma doença crônica que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões e coceira.

A Dermatite Atópica afeta geralmente indivíduos com história pessoal ou familiar de asma, rinite alérgica ou dermatite atópica. Essas três doenças são conhecidas como as doenças atópicas ou tríade atópica.

O que causa a Dermatite Atópica?

A causa exata da Dermatite Atópica é desconhecida. No entanto, atualmente se sabe que a Dermatite Atópica
não é uma doença contagiosa, e sim uma doença de origem hereditária.

Uma criança que tem um dos pais com uma condição atópica (asma, rinite, alérgica ou Dermatite Atópica) tem
aproximadamente 25% de chance de também apresentar alguma forma de doença atópica. Uma criança com os dois pais com doença atópica, tem mais de 50% de chance de também apresentar doença atópica.

Quais as principais características da Dermatite Atópica?

Além da coceira, que está sempre presente, a Dermatite Atópica caracteriza-se pelo aparecimento de lesões na pele.

Na infância, as lesões de pele são mais avermelhadas, e localizam-se na face, tronco e superfícies externas dos membros. Nas crianças maiores e adultos , as lesões localizam-se mais nas dobras do corpo, como pescoço, dobras do cotovelo e atrás do joelho, e são mais secas, escuras e espessadas. Em casos mais graves, a Dermatite Atópica pode acometer boa parte do corpo (que é o caso da Rafaela).

A Dermatite Atópica é uma doença comum?

A Dermatite Atópica é uma doença muito comum, universal, sendo mais encontrada em áreas urbanas. Estudos recentes mostram que a incidência da Dermatite Atópica tem aumentado nas últimas décadas e atualmente afeta de 10 a 15% da população em geral, em alguma época da vida.

A Dematite Atópica tem início precoce, aparecendo geralmente no primeiro ano de vida. O prognóstico é favorável na maioria dos casos, sendo que aproximadamente 60% das crianças apresentam diminuição ou desaparecimento completo das lesões antes da puberdade.

Pele Seca

A pele seca é uma característica muito presente e representa um dos fatores que mais contribuem para a piora da Dermatite Atópica.

Para evitá-la, deve-se tomar cuidado na hora do banho, que deve ser rápido e com água morna. Evitar uso excessivo de sabonetes e buchas e aplicar um hidratante neutro nos três minutos logo após o banho, antes que a água que está na pele se evapore.

Na verdade, a coceira sem fim é causada pela pele muito seca. E como a pele de um atópico é “especial”, não é qualquer hidratante e sabonete que devem ser usados. No caso dos sabonetes, precisam ser os líquidos e hipoalergênicos. Esqueça os sabonetes líquidos daquela marca famosa para bebês 😉 E o hidratante não deve ser mudado, a menos que ele pare de dar resultado. No caso da Rafa, o Cetaphil funciona lindamente bem pra ela desde que recebemos o diagnóstico da doença.

ALGUMAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

  • Eu resolvi usar o Google como ferramenta de auxílio para o diagnóstico porque nenhum profissional da saúde estava conseguindo me ajudar. Mas em nenhum momento eu usei qualquer tipo de medicamento sem prescrição médica;
  • Por que eu fiz questão de mencionar que eu escolhi um dos profissionais mencionados no site da AADA? Porque depois de tanto médico, tanto creme e tanto “erro” eu não queria correr o risco mais uma vez do médico entrar na onda da mãe maluca, começar a tratar minha filha com Dermatite, sem realmente ser e ela não melhorar.
  • A alimentação está diretamente relacionada às crises de dermatite atópica, mesmo o teste alérgico não dando positivo para o alimento. Como o Dr. Mário fala: “o que a mãe observa é mais importante do que o resultado do exame”. Falarei mais sobre a alimentação em outro post e explico melhor essa fala do Dr. Mário.

Temos alguma leitora que é portadora de D.A. ou tem caso na família? Se quiser, podemos trocar figurinhas nos comentários 😉