Oie! Hoje estou trazendo para vocês mais um post que fala sobre o poder da natureza na saúde (coloquei natureza porque envolve alimentação, ervas, etc). Descobri a o óleo de prímula há alguns anos e fiquei sabendo que ele poderia ser usada como suplementação para portadores de Dermatite Atópica, bingo! Fiquei feliz porque era mais um recurso que eu poderia usar para ajudar no tratamento da Dermatite da Rafaela.

E para ter um respaldo profissional no post sobre o assunto, conversei com a nutricionista Carolina Novaes para tirar algumas dúvidas que eu ainda tinha sobre a prímula e resolvi compartilhar aqui com vocês 🙂

AD – O que é a Prímula?

Carolina Novaes – Prímula é uma planta nativa da América do Norte. Das sementes dessa planta é extraído o óleo de prímula (Oenothera biennis) fonte de ácido gama linolênico (GLA), um ácido graxo da série ômega 6.

AD – Quais são os benefícios que o óleo de Prímula possui? 

Carolina Novaes – O principal benefício da suplementação do óleo de prímula está relacionado com a saúde da mulher. Dentre esses benefícios, podemos destacar:

  • contribuição para hidratação da pele mantendo a elasticidade;
  • fornece suporte ao combate de sintomas relacionados à tensão pré-menstrual. Como alteração de humor e inchaço;
  • auxilia nos sintomas de climatério e menopausa.

AD – Por que o óleo de Prímula está associado à saúde da mulher?

Carolina Novaes – Alguns estudos evidenciam que a sua utilização é capaz de melhorar as oscilações de humor, irritabilidade, mastalgia (dores nos seios) e sintomas vasomotores como os fogachos, comumente relatados na menopausa.

Entre seus efeitos positivos na saúde, destaca-se a sua atribuição na tensão pré-menstrual (TPM) e menopausa. Por essas razões a suplementação com óleo de prímula está associado à saúde da mulher.

AD – Todo mundo pode tomar óleo de prímula? Existe alguma contra-indicação?

Carolina Novaes – A maioria das pessoas podem se beneficiar da suplementação do óleo de prímula, no entanto, em casos específicos como gravidez, amamentação e em alguns casos como distúrbios hemorrágicos, epilepsia e esquizofrenia, a suplementação pode ser contra-indicada. Nesses casos específicos, busque orientação com seu nutricionista ou médico.

AD – O óleo de Prímula é encontrado em algum tipo de alimento ou o consumo dele só pode ser feito através de suplementação? 

Carolina Novaes – Como o óleo é extraído da semente da planta prímula, não sendo encontrado em nenhum outro tipo de alimento. A maneira mais fácil de suplementação é através das cápsulas que a indústria comercializa. Existe a opção de consumir através de azeite à base de óleo, porém é mais difícil encontrar nesse formato. Através das cápsulas é muito mais simples e prático para o dia-a-dia.

AD – Como o óleo de Prímula pode auxiliar no tratamento da Dermatite Atópica?

Carolina Novaes – Na saúde dérmica, o GLA (ácido gama linolênico) é essencial para a manutenção de sua estrutura e função. Observa-se, inclusive, a deficiência deste ácido graxo em algumas desordens de pele como no eczema atópico. Assim, o óleo de prímula pode ser benéfico em sintomas como coceira, descamação e edema, por melhorar a hidratação, elasticidade, firmeza, resistência e rugosidade da pele.

AD – Existe algum efeito colateral no consumo do óleo de Prímula?

Carolina Novaes – Em observações clínica, é possível afirmar que os efeitos colaterais do óleo de prímula são raros e escassos. Quando a ingestão do óleo de prímula é além da dose recomendada ou da necessária, é possível sentir náuseas, dores de cabeça e também dores de estômago.

AD – Qual a dose indicada para o consumo diário do óleo de Prímula para que os benefícios sejam atingidos? Existe diferença entre a dose indicada para uma criança e para um adulto? 

Carolina Novaes – A indicação usual para adultos é de 1.000 mg  duas vezes ao dia, essa quantidade pode variar de acordo com indicação e objetivos clínicos do nutricionista ou médico. A dosagem da criança vai variar de acordo com os objetivos do profissional de saúde que a acompanha.

AD – Os estudos referentes aos benefícios do óleo de Prímula são vastos ou ainda estão no começo?

Carolina Novaes – É necessário destacar que há escassez de evidências que comprovem o tratamento de fato, mais estudos na área científica são necessários.

 

Sobre a Carolina Novaes 

Nutricionista clínica funcional, responsável técnica da Vitafor.