Quem acompanha o Acordei Disposta lá no Instagram tem me aguentado falar sobre o Whole 30, um “desafio” que resolvi fazer comigo mesmo [PAUSA 1] Estou fazendo o Whole 30 em conjunto com a Anni, cada um de jeito, mas na hora que bate uma vontade de comer algo diferente, a gente troca uns #mimimis [DESPAUSA]  para dar uma sacudida no meu metabolismo e ver se consigo sair desse platô do caramba onde não consigo perder os quilos extras nem a pau [PAUSA 2] Esqueçam o termo “estou gorda” para os quilos extras. No meu caso uma coisa não tem nada a ver com a outra, ok? É que estou no meu maior peso da vida (sem estar grávida) e isso está incomodando muito, coluna sofre, pé sofre, canela sofre…cada corpo, um corpo [DESPAUSA].

Eu sou totalmente avoada quando se fala de dieta, dieta da moda, mania nova das pessoas…eu nunca liguei pra isso. Quando povo corta glúten, lactose, blá blá blá…eu busco entender a parte nutricional da coisa. Tipo, muita gente tem intolerância a lactose, o glúten às vezes causa um processo inflamatório no organismos….e por aí vai. As dietas que fiz nunca foram extremistas. Aí você se pergunta: e por que você está fazendo o Whole 30? Conheci o whole 30 através da Bruna. Tentamos fazer o Whole 30 com a Bruna (eu, Anni, Carô e Eri) no ano passado, mas arregamos na primeira semana. Bruna fez bonitinho e perdeu 5 kg. Passou! Aí papo vai, papo vem, resolvi ficar sem beber por 1 mês até o carnaval, aí entrou o assunto do Whole 30 no meio e só sei que eu e Anni resolvemos começar essa bagaça.

Mas o que é esse tal Whole 30?

Ela foi desenvolvida por um casal (que já atuaram na área de nutrição esportiva, anatomia e fisioterapia) e é um programa alimentar que tem por objetivo reajustar o metabolismo e remodelar o relacionamento que as pessoas possuem com os alimentos.

Qual o objetivo do Whole 30?

O Whole 30 tem por objetivo a exclusão total de um grupo de alimentos, pois eles podem estar por trás de problemas como diminuição na energia, dores sem explicação, dificuldades para emagrecer (eu todinha, afe!) e insucesso no tratamento com remédios para problemas com infertilidade, problemas de pele, doenças digestivas e alergias periódicas (a Rafaaaaaa).

A proposta é ficar um mês sem alguns tipos de alimentos para que o corpo se recupere.

Quais são os alimentos proibidos no Whole 30? 

  • Todos os produtos industrializados (nada de sem glúten, sem lactose…nada que tenha que abrir o pacotinho)
  • Açúcar adicionado: xilitol, mel, xarope de ácer, néctar de agave, néctar de coco, stevia, splenda, etc…
  • Grãos: trigo, centeio, cevada, aveia, milho, arroz, painço, triguilho, sorgo, amaranto, trigo, sarraceno, grãos germinados, quinoa e outros grãos
  • Legumes: feijões, soja, ervilha, grão de bico, lentilhas, edamame, amendoins
  • Laticínios: nada que venha do leite da vaca, cabra e ovelha (queijo, kefir, iogurte, etc)
  • Vinagres: que possuam açúcar adicionado e vinagre de malte
  • Itens compostos por carrageina, glutamato monossódico e sulfitos (isso aqui gente, o ideial é excluir da vida!)
  • Sem dia do lixo
  • Álcool 
  • Cigarro

O que pode comer durante o Whole 30?

Foto “salada com bacon”, by Shutterstock

  • Proteínas: pode comer todas. Frutos do mar, carnes vermelhas, carnes brancas, ovos e carnes processadas (bacon, linguiça e frios artesanais – que não sejam industrializados).
  • Vegetais: abóbora, abobrinha, acelga, agrião, alcachofra (com moderação), alface, alho, alho poró, aspargos, batata doce, berinjela (com moderação), beterraba, brócolis, brócolis ninja, brotos (com moderação), cará, cebola, cenouras, cogumelos (com moderação), couve, couve de bruxelas, couve flor, erva doce, ervilha torta (com moderação), espinafre, inhame, mandioca, mandioquinha (com moderação), pepino, pimentão, quiabo (com moderação), rabanete (com moderação), repolho, rúcula, salsão ou aipo (com moderação), tomate, vagem (com moderação).
  • Frutas: abacaxi (com moderação), ameixa, amora, banana (com moderação), cereja, damasco, grapefruit, figo (com moderação), framboesa, frutas exóticas (com moderação), kiwi, laranja (com moderação), limão (com moderação), maçã (com moderação), mamão (com moderação), manga (com moderação), melão, melancia (com moderação), mirtilo, morango, nectarina (com moderação), pêssego (com moderação), pera (com moderação), romã (com moderação), tangerina (com moderação), uva (com moderação), limitar frutas secas.
  • Gorduras: 
    • para cozinhar: azeite de oliva extra virgem, ghee (manteiga de garrafa), gordura animal, manteira clarificada, óleo de oco
    • para consumo: abacate, avelãs, azeitonas, castanha de caju, coco, leite de coco, macadâmia, óleo de coco
    • ocasionalmente: amêndoas, castanha do pará, pecãs, pistache
    • limitar: gergelim, linhaça, nozes, pinholes, sementes de abóbora, sementes de girassol

Comentários:

  • A dieta fala mais sobre a mudança da composição corporal do que em peso propriamente dito. Eles falam para não se pesar o tempo todo, pesar no início e no fim do programa. Eu estou tirando uma foto minha a cada semana para fazer a comparação e tenho corrido da balança.
  • Os alimentos permitidos não devem ser consumidos de forma livre. A ideia é comer lentamente até estar saciado e voltar a comer quando sentir fome novamente. Identificar se é fome ou vontade de comer. Na hora de montar o prato, coloque 2 porções de proteína onde cada bife seja do tamanho da palma da sua mão. Complete o prato com os demais alimentos.
  • Eu reduzi o carboidrato também, como apenas em uma refeição uma porção pequena. Dou preferência ao inhame ou o cará porque adoro.
  • Linguiças são permitidas, porém a maioria das linguiças industrializadas possuem sulfito (e sulfato), então cuidado! Eu cortei da minha lista de produtos permitidos.
  • A Anni deu a dica que no Pinterest tem uma ideias de pratos para o Whole 30. Vão lá conferir porque tem uns pratos de comer com os olhos.

Estou fazendo a dieta há 2 semanas e consigo notar muita diferença na região da barriga. O “toicinho” que tenho abaixo do meu bumbum, ainda não sumiu 🙁

Eu não sinto dor de cabeça, dor de barriga, indisposição, nada. Estou super bem, diria que até mais disposta. Não tenho faltado treino e a dieta não baixou meu rendimento.

A parte mais difícil pra mim no começo foi ficar sem a pipoca, pois eu tinha o hábito de comer pipoca (e muita) quando estava com vontade de mastigar. Agora se me bate uma vontade de mastigar, eu como alguns pedacinhos de coco e já paro. Como meu paladar é salgado, não sinto falta de doce e consigo não exagerar no coco.

Duas semanas depois de iniciar, estou decidida a continuar com alguns hábitos para manter o shape. Ou vai desgringolar tudo :p

Se vocês tiverem alguma dúvida adicional sobre o Whole 30 ou quiserem deixar alguma dica nos comentários, vou amar!

Fonte: Café com Manteiga e Mundo Boa Forma