Há pouco mais de 1 ano eu fiz um post filosofando sobre a máxima “corpo são, mente sã” e continuo buscando essa plenitude. Tá, claro que em algumas fases estou mais focada nisso do que em outras, mas quem não é assim, não é mesmo?

Eu sou uma pessoa do tipo “agoniada”, me manda ficar quieta por 5 minutos, de olhos fechados e pronto, parece que algo dentro de mim começa a pegar fogo. Teve uma época da minha vida que resolvi fazer acupuntura para me auxiliar em um tratamento de saúde. Minha nossa! Eu quase pirava durante as sessões. O fato de não poder me mexer, a música calma…era um desespero dentro de mim.

Pois bem, durante as férias das minhas filhas me peguei sofrendo de “excesso de trabalho mental”, sei lá se tem nome específico pra isso. Só sei que eu passava o dia fazendo planos na minha cabeça, não conseguia executá-los e ficava pensando e pensando….e pensando o dia todo em coisas que me deixavam mentalmente cansada. À noite estava só o bagaço, aí lembrei que a Eri (nossa Japão) comentou no vídeo de retrospectivas sobre a meditação e fiquei com vontade de saber mais sobre o assunto.

Nesse meio tempo tive a oportunidade de conhecer a Dra. Priscila Nunes de Souza Pitt, especialista em meditação. Expliquei pra ela sobre meu interesse em saber mais sobre o assunto e ela me mandou algumas informações iniciais sobre o ato de meditar para que eu pudesse compartilhar com vocês (e tentar me animar a praticar a meditação) 🙂

Mas o que é Meditação? Segundo a Dra. Priscila Pitt, meditar é sentar (ou até mesmo andar, ou viver) na CALMA, no PRESENTE. É aprender a estar consigo nas 24 horas do seu dia, mesmo que tudo esteja um caos na sua vida, pois o mundo não para e está sempre nos exigindo mais, como podemos observar atualmente. Estamos sempre estressados, preocupados, ansiosos, deprimidos, sempre tentando lidar com a enorme quantidade de coisas que passa pela nossa mente e influencia nossa vida.

E como fazer isto, se sento pra meditar e não consigo parar de pensar? Quais as dificuldades na meditação? A Dra. Priscila Pitt menciona que primeiro é necessário entender a natureza da mente, que é agitada, ilusória, insaciável e inconstante, ou seja, é normal que todos encontrem dificuldade para meditar. A mente nos domina na maioria das vezes, e por conta desta falta de controle  sobre ela é que deixamos de ser felizes em muitos momentos. Podemos comparar a nossa mente com um turbilhão. Remoemos as mesmas coisas, as mesmas fantasias, os mesmos pesares, as mesmas esperanças e os mesmos medos como um disco arranhado. Isto gera muita confusão interna, e esta falta de tranquilidade é que nos adoece, nos traz angustias e infelicidade.

A partir do momento que tomamos consciência deste processo, de que temos dentro de nós um carrossel mental, podemos olhar de uma forma diferente. Seremos espectadores dos nossos pensamentos, enxergando-os como se estivessem numa tela de Televisão sem nos deixar envolver por aqueles sentimentos que eles nos causam, e assim aquele turbilhão mental vai passar e fluir. Sim, meditar é um caminho de dedicação, pois é um treino DIÁRIO do “estar consigo”, o que as vezes é difícil, pois temos que encarar nosso barulho interno. Durante toda a vida fomos ensinados a “viver para fora”, a nos distrair com o exterior, mas esquecemos que, ao olhar para dentro de nós, estaremos nos libertando, pois iremos entrar em contato com nosso EU MAIOR e desapegar do que não nos serve mais. Quando falamos em EU MAIOR estamos dizendo que na verdade não somos o que pensamos, ou seja, não somos nossos pensamentos, mas sim, nossos pensamentos fazem parte de nós. Assim como num espelho, a forma e o reflexo se observam, você não é o reflexo, mas o reflexo é você.

A Dra. Priscila Pitt fala ainda sobre a importância da respiração, que é a nossa âncora, já que nossa mente pensa em tantas coisas ao mesmo tempo, e nos leva para lá e para cá. Temos que ter algo que nos traga de volta para o agora, e esta é a função da respiração. Ela é o vazio, o etéreo, e este vazio purifica a mente, e no vazio da mente, penetra a luz, diz a especialista.

Vocês gostaram do tema? Eu estou com a ideia de investir um pouco do meu tempo em tirar esse “bloqueio” com a quietude do corpo e da mente e aprender a meditar. Quero conferir de perto os benefícios da meditação. E vocês? Em breve darei sequência aos posts sobre a meditação falando um pouco mais sobre os benefícios da prática.

Se tiverem alguma dúvida adicional sobre a meditação, deixem nos comentários que entraremos em contato com a Dra. Priscila para nos auxiliar com as respostas 😉

 

Sobre a Dra. Priscila Nunes de Souza Pitt

Biomédica doutora em acupuntura pela World Federation of Acupuncture-Moxabustion Societies WFAS. Especialista em meditação, massoterapia, florais, fitoterapia chinesa e brasileira e reiki. Atua na área desde 1999.