Oie! Tirei uma semaninha de folga e escolhemos como destino Jericoacoara, vilarejo no litoral norte do Ceará. Pensem num lugar lindo?! É aqui 🙂

Decidimos tudo de última hora (em menos de 3 dias) e não deu tempo de pesquisar muita coisa antes de vir pra cá. Por isso resolvi fazer um resumão sobre translado pra ajudar quem precisar de informação de forma rápida e objetiva.

Uma coisa que eu não sabia era a distância de Jeri para a capital Fortaleza: aproximadamente 4 horas de viagem (em ritmo puxado). Existem várias formas de chegar aqui: jardineira saindo da orla de Fortaleza, ônibus de linha de Fortaleza até Jijoca (e de lá pega uma jardineira) e o transfer 4×4.

Nós optamos por vir de 4×4 pela praticidade: pega direto no aeroporto e deixa na porta da pousada.

Importante! Renato queria alugar um carro no aeroporto e vir pra Jeri em um “milzinho”. A sorte é que tinha um amigo meu aqui em Jeri e mandei uma mensagem pra ele perguntando sobre a estrada (a mãe do Renato alertou ele sobre a estrada ruim) e o meu amigo falou para não alugarmos carro porque uma parte do trajeto tem muita areia. E foi ótimo termos mudado de ideia porque o carrinho não passaria na parte de areia.

Outra coisa sobre o aluguel de carro: o estacionamento dos carros de fora fica na entrada da cidade (não tem como deixar o carro perto da pousada porque os carros de fora não transitam por Jeri) e o valor do estacionamento é de R$ 25,00 por dia. Realmente não seria negócio alugar um carro.

Início da parte off-road no translado até Jeri. Um carro pequeno não passaria por aqui.

Outra coisa que me deixou meio cabreira sobre o transporte foi o fato de mulheres desacompanhadas nesse transfer de 4×4. A 4×4 consegue trazer 4 pessoas + o motorista. Imagina uma mulher sozinha em um carro com mais 4 homens? Eu me sinto desconfortável só de imaginar a situação. E pensando nisso resolvi deixar o contato do Raimundo que fez nosso transfer (vou tentar tirar uma foto do carro dele na volta pra Fortaleza, chegamos aqui à noite e não consegui tirar foto).

Raimundo é casado, tem 3 filhas (as duas mais velhas são gêmeas) e estão pensando ainda se vão tentar o menino ou não <3 Ele comprou o carro dele em sociedade com o irmão (que também faz criação de tilápia). Raimundo trabalha pra caramba para conseguir ter uma vida melhor. Renato e ele vieram batendo papo de Fortaleza até aqui e trocando ideia sobre negócios. O carro está novinho (por dentro e por fora) e é bem confortável para esse tipo de viagem que é bem puxada. Raimundo é tão gente boa que pensamos em recorrer a ele no caso de exageros na manguaça, hahahhaahha. Brincadeiras à parte, Raimundo é super de confiança para o caso de uma mulher sozinha ficar receosa com o translado. E não dirige feito um maluco, ficamos tranquilos durante todo o percurso.

Para quem quiser contatar Raimundo: (88) 9926-0986

Uma dica é pesquisar o preço e chorar. Nós conseguimos um desconto de 40% (pasmem!) no valor de ida e volta. Ah, pagamos uma parte ao chegar em Jeri e só pagaremos a outra metade quando chegarmos em Fortaleza. E ao conversar com outras pessoas, descobrimos que o valor cobrado pode mais que duplicar. Parece impossível, mas acontece. Conversamos com um casal que optou por ir de Fortaleza para Jeri no trajeto: Fortaleza – Jijoca (via ônibus de linha) e Jijoca – Jeri via jardineira e pagaram mais caro do que nós que fomos direto do aeroporto pra Jeri (e ainda leva 2 horas a mais de viagem).

Caso optem por fechar o transfer de 4×4, optem por veículos credenciados (geralmente eles possuem um adesivo na porta com o nome da cooperativa). Os veículos credenciados são fiscalizados pelo governo, possuem seguro e tacógrafo.

No próximo post falarei sobre a hospedagem aqui.