Esse é o tipo de post que daria um lindo vídeo sobre o assunto, mas como eu gosto mais de escrever do que de falar (eu e meus sincericídios), vou começar o assunto por aqui enquanto crio coragem de fazer um vídeo sobre o tema 😉 Enfim, como o título do post diz, eu resolvi fazer uma travessia (ou uma prova de natação no mar, como achar melhor) e vim aqui compartilhar com vocês a razão de ter escolhido esse desafio pra mim.

É claaaaaro que quando resolvi retomar as aulas de natação, eu já tinha essa ideia em mente. Mas resolvi ficar quietinha sobre o assunto porque eu queria ver se eu seguiria firme nas aulas. E segui! Com isso chegou a hora de contar para vocês como tudo isso começou.

Quem acompanha o blog (ou me acompanha nas redes sociais) a mais tempo, sabe o quanto sou apaixonada pelo mar. Aprendi a nadar com meu pai na piscina do clube da Vila Militar de Recife e ele e minha mãe me passaram os ensinamentos necessários para ficar dentro do mar sem risco e contra-tempos.  O meu pai me ensinou que o mar cura muitos males: já curamos torcicolo, dor nas pernas, contrações musculares diversas, dedo infeccionado, mal olhado e sei mais quantas coisas só por ficarmos algum tempo dentro da água do mar. Furar onda é a brincadeira mais relaxante do mundo.

E quando eu resolvi unir o meu amor pelo mar com o amor pelo esporte? Estou ensaiando para meter as caras nisso desde o ano passado. Minhas “bichas” começaram a assanhar quando a Sheila do Atividade 360 me chamou via facebook para o Desafio Aquaman que aconteceu no ano passado em Caraguá. Logo após o convite, surge na minha timeline uma foto da Carol com um troféu na mão após completar uma prova no mar. Poutz, ali fiquei doida. Comecei a me questionar se eu conseguiria fazer aquilo também. E no início desse ano o destino me fez cruzar com a Carol pessoalmente e pudemos conversar sobre a experiência dela com provas no mar e fiquei maluca de vez.

Meu maior problema em meter as caras em uma prova no mar era o fato de odiar frio, tanto que me faz questionar a prática de uma atividade aquática frequente. Porém, no pain, no gain e se era isso que eu queria, eu teria que pagar um preço. E esse preço seria encarar o frio. Comecei a conversar com algumas pessoas para saber um pouco mais sobre provas no mar e pegar algumas dicas. Consegui dicas preciosas na primeira conversa e pude testar logo na sequência quando desci para o litoral e fiz um treino no mar.

Hoje meu problema está nos treinos de natação. Percebi que o pessoal da assessoria do condomínio não se preocupa em corrigir movimento, em variar o treino…então estou buscando um profissional que possa me ajudar com os treinos para provas no mar. Tenho assistido muitos vídeos para ver as dicas que o pessoal dá, conhecer ainda mais particularidades e todo esse processo tem sido super legal.

 

Imagem nadador desconhecido no mar, by Shutterstock

Minha meta é realizar minha primeira prova no mar entre os meses de setembro e outubro. Ainda não escolhi a prova porque quero ver como os meus treinos no mar desenvolverão até agosto. Estando tudo dentro do que imagino, é bem provável que eu consiga fazer a primeira prova em setembro. Aí só precisarei confirmar se minha agenda baterá com essa prova que estou de olho 😉

Esse é um mundo super novo pra mim e eu quero muito trocar ideias com outras pessoas que estejam no mesmo processo que eu, ou que já fazem provas no mar e queiram compartilhar dicas com iniciantes. Então, nadadores, vamos trocar figurinhas?