E o primeiro mês do ano está chegando ao fim. Caramba, 2016 tá com pressa, né? :O

Separamos alguns links que nos fizeram refletir esse mês. Tem questionamento sobre como percebemos o corpo alheio, sobre feminismo, sobre a vida… aposto que ao ler qualquer um deles você vai refletir um pouco sobre o assunto. Se fizer isso, conta pra gente o que achou? Vamos adorar saber se vocês se interessam por esses assuntos também. 😉

AD-links-janeiro16a
  • O sutiã é uma coisa que a maioria de nós não vive sem. Eu, peituda como sou, acho até desconfortável ficar sem por causa do peso dos seios. E aí vem a pergunta: você sabe tudo o que deveria saber sobre essa peça de roupa? Esse post do Buzzfeed lista 9 modelos, com comentários de especialistas (mulheres que trabalham na indústria da lingerie).
  • Este mês a NASA anunciou sua nova equipe de astronautas e, pela primeira vez 50% dos integrantes é mulher. UAU, QUE DEMAIS! é a primeira coisa que nos vem à cabeça, certo? E aí vimos esse link da Galileu, repudiando a onda machista maluca que apareceu na nota da revista falando sobre o assunto. Ai mundo, quando vamos deixar de lado essas idiotices?
  • Falamos em machismo, temos que falar em feminismo. A cada ano as mulheres tem tido mais voz e a ideia de que feminismo é coisa de gente louca já está ficando no passado, afinal homens e mulheres devem lutar pela igualdade e deixar para trás atitudes machistas. 2015 foi um ano de muito debate sobre o assunto na internet, coisa que você pode ver com esse post da Run Ju Run sobre um levantamento feito pelo Think Olga.
AD-links-janeiro16b
  • O poder do não em nossa vida é muito grande. Você já parou para pensar quanto tempo e energia já gastou na sua vida só porque não quis dizer não para alguém ou alguma situação? A Ericka fez um texto muito verdadeiro sobre o prazer de aprender a ser seletiva e dizer não para algo que não se quer fazer, sem culpa. Eu ando me policiando para fazer isso e afirmo: é libertador.
  • Um pai que perde a filha, uma esposa que perde o marido, um irmão que perde um irmão. São dores que nunca cicatrizam e que podem mudar a vida de uma pessoa. Esse texto lindo do Paulo Camossa mostra como ele resolveu usar essa dor para mudar o jeito de encarar a vida e seus valores. A saudade nunca some, mas pode ser sim um impulso para o bem.
  • Quais são as lembranças mais doces da sua infância? A Lya contou a força que suas tardes de praia e chuva com a família tiveram em sua vida. Nada de brinquedos caros, ter toda a coleção da Barbie ou o tênis da moda. Carinho, atenção e presença foram o que ficou. É o que sempre fica, né? Me fez lembrar de alguns bons momentos que guardo na memória e deu saudade de quando eu era pequena.
AD-links-janeiro16c
  • “A beleza está em todo lugar, basta a gente querer enxergar”. A nova, a velha, a baixa, a alta, a gorda, a magra, a morena, a loira… a beleza está nos olhos de que vê, está nas diferenças e está mesmo em qualquer canto para o qual olhamos. O projeto The Atlas of Beauty mostra vários tipos de beleza feminina, clicados ao redor do mundo. Dica linda da Carol, do Follow the Colours.
  • Alison Stevenson é gorda e ama seu corpo. É uma mulher livre, com desejos e satisfações e, por isso mesmo, já encontrou muitos caras por aí que “disfarçavam” o fato dela ser gorda com alguns outros atributos. E aí ela fez esse texto delicioso, chamado “Como aceitar o fato de que você se sente atraído por gordas”. Delicioso é ler uma mulher cheia de amor próprio dizer que com toda a razão que “não tenho vergonha do meu corpo. Na minha opinião, se você não consegue lidar com as minhas estrias, você não merece minha celulite”. É isso aí, Alison!
  • Em um mundo onde “gordo” é ofensa e “magra” é elogio, a gente tem que repensar nossos valores, né? Os dois são características físicas e, em nenhum momento, devem definir o valor de cada um. Tá na hora de mudarmos nossos elogios e xingamentos, que tal começar repensando em como elogiar as amigas, hein? Esse texto ótimo da Rchl Ptrc faz a gente medir melhor o que sai dizendo por aí. 😉

ana

32 anos, do ABC Paulista, diretora de arte. Já nadou, jogou futebol, correu, praticou musculação... Mantém a disposição se alimentando bem e se mexendo regularmente.

>> Veja mais posts dessa autora

Você decidiu sair do sedentarismo e está se esforçando para se alimentar melhor. Antes de tudo, parabéns! Não é nada fácil deixar hábitos antigos para construir novos, por isso (por favor!) persista que você não irá se arrepender. De longe essa é a melhor atitude que tomou em 2016. Lembre-se que ‘seu corpo = seu templo’ e um dia ele irá te pedir a conta. 😉

O passo mais importante você já deu, agora é o momento de escolher as “ferramentas” que vai usar.
Mas antes de continuar, caso ainda não tenha lido:

PARTE 1: Por onde começar? (leia AQUI)
PARTE 2: Hora de se mexer! (leia AQUI).

1-roupa-ginastica

Ok, parece lógico e soa ridículo mas existem tantas atividades físicas por aí que mal paramos para pensar qual roupa serve para quê. Imagem:
Garotas voltando para a academia, foto externa , by Shutterstock

Quando decidi me mexer, não tinha muita coisa além de dois shorts, duas regatas de algodão e 1 tênis de academia. Eu era (presta atenção no passado kkk) dessas pessoas que acham um desperdício gastar com roupas de ginástica. Achava um horror (tênis de corrida então…) e desnecessário ter que investir dinheiro nisso, já que ia me encharcar de suor/estragar a roupa. Pra mim era só escolher um item surrado, ter um “pisante” e já tava bom demais da conta. Não que estivesse errada, mas acontece que uma das atividades que peguei firme de verdade foi a corrida e meu tênis não era nada apropriado e por causa disso sofri consequências (contarei pra você esse “causo”).

Algumas lojas (físicas e online) já tem itens separados por categorias, mas a grande maioria não. Você já se perguntou por que uma calça é específica para correr e outra para malhar? Não seria tudo “farinha do mesmo saco” e mera frescura pra vender mais? Antigamente não tinha dessas coisas… afinal, qual a diferença entre elas? Não seria mais fácil ir no Torra-Torra (uma loja de roupas baratinhas de SP) e pegar uma roupa pra malhar? Sim, de modo geral você está certa! Mas dependendo da atividade física, pode afetar seu desempenho e vou explicar o por quê. Mãssss, por outro lado, existem peças de roupa coringa, minha amiga! E são nelas que você deve investir, caso não queira gastar uma nota com isso. hehehe
Vamos falar disso mais pra frente. 😉

ROUPAS (GERAL)

Como na parte 1 e 2 desse manual, falarei no geralzão e darei pinceladas em cada assunto, já que cada item merece um post mega completo e cheio de detalhes.

Roupas para se exercitar é quase como roupas para dormir: devem estar confortáveis no nível máximo. Tecido que pinica na pele ou que deixa a pessoa encharcada (com risco de pegar um resfriado), calça que desce, shorts que sobe…nada pode atrapalhar. O FOCO deve estar no exercício e não na roupa.

Me lembro que na Vênus, uma corrida de 15k que participei com as meninas, tinha uma moça que usou um skirt (short+saia) que subia tanto, mas taaaanto, que até decidimos apertar o passo para ultrapassá-la, tamanha a aflição que deu na gente. Morremos de dó porque ela mais descia o short do que prestava atenção na corrida. O incômodo era notório. Está vendo como uma roupa errada pode arruinar uma performance? É por isso que aconselho não estrear nenhuma roupa em eventos esportivos, porque existe uma grande chance de “dar ruim”.

Para não ficar extenso demais vou listar algumas dicas básicas:

  • Tecido: dê preferência para os que tenham uma porcentagem maior de Poliamida, pois além de possuir maior elasticidade e um toque agradável (semelhante ao algodão, só que beeem mais macio), tem um bom grau de absorção (aproximadamente 4%), ou seja, “puxa” o suor do corpo de forma eficaz e o faz evaporar mais rapidamente. As blusas que possuem uma trama mais aberta (crepe de poliamida) tem uma maior “saída” de água e são as mais “fresquinhas” de usar.
    Algodão, embora seja um fio natural e possuir um alto grau de absorção (em 11%), demora mais para evaporar (prejudicando na manutenção do calor corporal), ou seja, te deixa mais tempo encharcada e consequentemente incomodada.
    O Poliéster ganha no quesito resistência e custo acessível, mas por outro lado, é o que possui um toque mais áspero, e de todos é o que tem o menor grau de absorção (cerca de 0,5%). Ele  “retém” mais o calor e “segura” o odor do corpo. E a combinação atividade física + calor excessivo + odor corporal não dá muito certo, não é mesmo? rs
  • Bottom (parte de baixo): pense no tipo de atividade física que você vai fazer com aquela roupa. É só musculação ou vai casar com alguma atividade aeróbica? Vai fazer algo que não tenha muito contato com o chão ou atrito? Leve em conta alguns detalhes, como localização de bolsos, bordados, zíperes e detalhes adicionais, como a resistência do tecido. Por exemplo: um treino funcional, que tem diversos exercícios combinados (entre eles agachamentos, burpees e abdominais), aquele bolso na parte de trás pode incomodar ou o tecido pode rasgar em pouco tempo. Já em corridas, bolsos são muito bem-vindos! hahahah
  • Tecnologia: existem diversas e cada vez mais nos surpreendemos com as novidades. São tecidos com isolamento térmico, que regulam a temperatura corporal e controlam a umidade durante os exercícios (já viram as novas calças da Nike?), com função bacteriostática (que detêm o crescimento de algumas bactérias), com proteção solar UVA e UVB, aumento da microcirculação (já ouviu falar em bermudas/calças anticelulites?), compressão em determinadas partes, menos ou nenhuma costura e muitos outros. Considero um plus no que já está bom.

TOP

3-top-de-ginastica

Continuo em busca do top perfeito. Imagem:
vetor colorido de sutiãs esportivos , by Shutterstock

Top é outro assunto que dá “pano pra manga”. Aqui a regra geral é: pense no seu biotipo.
Pequenos detalhes podem fazer uma diferença enorme. Exemplo: alça fininha + peitão = péssima idéia, pense na tal da Lei da Gravidade e que precisa de uma sustentação extra. A não ser que você só faça musculação (mesmo assim não recomendo), vai machucar, “assar” e não sustentará toda a sua fartura. Pense no impacto que seus seios sofrem em alguns exercícios, como corrida, saltos em caixas e pulinhos de corda.

Seios pequenos também sofrem com o impacto da atividade. Preste atenção no ajuste do elástico na base (deve estar bem firme) e no bojo (muitos tops tem bojo exagerado fazendo “sobrar”), detalhes que prejudicam a sustentação. Como diz meu marido, tem “pano” de mais nesse negócio! Entretanto, não existe aquela preocupação com a alça, pelo contrário, meninas com seios pequenos podem abusar das alças finas (quanto mais larga, maior incômodo), como uns liiieeeeendos (de poás, zique e zague) que a Nike lançou nas coleções passadas.

TÊNIS

4-tenis

Cuidado que tênis vicia. <3 Imagem:
Cinco pares de tênis pendurados em um fundo de madeira. , by Shutterstock

Pra mim tênis é item mais importante a ser levado em conta. Por quê? Um tênis errado pode intensificar algum problema (ósseo e/ou muscular) que você tiver, ou nem sabe que tem (como eu não sabia). E convenhamos, não é um item barato.

Quando comprei meu primeiro tênis (após muitos anos sedentária), eu só malhava na academia. Mas me mudei do Rio para SP e ao invés de me matricular em outra academia (a mais próxima de casa pedia um dos meus rins), comprei uma esteira que só fui usar tempos depois quando comecei a participar das corridas de rua. E aquele único tênis da academia virou tênis de corrida. Mas este pisante (que não foi baratinho) além de intensificar um incômodo no meu joelho esquerdo, me dava bolhas! Não aguentava correr com ele, porque saía com o calcanhar em carne viva. Meus dois dedinhos do pé eram puro calos. Bizarro! Chega a ser trágico e engraçado ao mesmo tempo relembrar dessa época. Enrolava o “pobre véi’ do meu pé com esparadrapos, band-aid (que não servia para nada) e ainda usava duas meias. Tudo para não parar de correr.
Até que percebi a importância de um tênis correto e comprei um adequado para mim. Não foi barato, mas já tinha em mente que ia usá-lo até ele “morrer” (mesmo pensamento que tenho quando compro um celular novo) e foi o que aconteceu. #mãodevaca #ripnimbus

Aí você me pergunta “o que você quer dizer com essa história”? Que não tem como fugir e pegar qualquer um, que você vai se dar mal! E se você quer investir em um tênis bom, pesquise muito sobre ele antes. Hoje em dia existem marcas, como Nike e ASICS, que prestam consultoria gratuita (não em qualquer loja, verifique em sua cidade).
Meu conselho? Escolha um tênis coringa, aquele que vai te atender tanto nos treinos de musculação, quanto em corrida – mesmo que você não vire corredora. Tênis de corrida podem ser usados na musculação, mas tênis de musculação não são adequados para correr. A boa notícia é que ao contrário da “minha época”, hoje tem tênis para todos os gostos e bolsos. Você não precisa mais gastar rios de dinheiro para ter um produto adequado e de qualidade.

Dica de cristal: se após uma pesquisada ficou de olho em um modelo específico, mas o dito ainda está salgado para seu bolso, tente procurar a coleção anterior (você adquire um bom tênis, bem mais barato).

ACESSÓRIOS E OUTRAS PEÇAS

  • Meias: outra peça não menos importante. Meu conselho é procurar meias de algodão ou com poliamida na composição (lembra da história que absorvem melhor o suor e impedem odor característico, vulgo chulé?). Não escolha meias muito grossas e prefira os que venham com costuras que “abraçam” os seus pés. Não tem algo mais irritante do que meias que escorregam para baixo. Grrrrrrr!
  • Bonés e viseiras: Se você pratica ou vai praticar atividades ao ar livre, não abra mão de outros acessórios, como bonés ou viseiras. Dão aquela proteção extra contra os malefícios dos raios ultravioletas.
  • Óculos de sol: se tiver dindim pra queimar, procure por óculos para práticas esportivas. Eles possuem uma tecnologia extra e hastes emborrachadas, que além de não machucar, prendem melhor no seu rosto. Se não quer ter um gasto a mais, use o que você se sentir mais confortável. Só não vale óculos falfal, os que você compra nos camelôs da vida. Miga, sua louca! Isso a longo prazo vai prejudicar sua visão!

RESUMINDO…

Roupa é muito mais do que mera futilidade, se escolhida de forma errada pode e muito afetar seu desempenho ou (no caso de tênis) intensificar algum problema/lesão. Sim, está muito longe de ser uma frescura!

Como disse anteriormente, as roupas são somente ferramentas. Sua função é te deixar o mais confortável possível durante a atividade física. Tenha consciência que não existe a necessidade de gastar uma nota alta para ter tudo o que se precisa. Vá pelas peças-coringa (de cores básicas e para múltiplas atividades) e seja feliz!
Hoje em dia existem marcas menos famosas e muito boas, além dos inúmeros outlets, com promoções excelentes. Qual a necessidade de se endividar em lançamentos, se pode gastar muito menos em uma peça de roupa da coleção anterior, que diga-se de passagem, não foi lançada nem há 6 meses ou 1 ano?
É só ter bom senso e paciência para pesquisar. Mas caso não tenha paciência, nós estaremos sempre de olho e sempre que pintar algo legal e baratex avisaremos aqui. 😉

Brincadeiras à parte, espero ter sido clara nos posts. Fui bem honesta e (mesmo dando pinceladas) tentei ser bem completa no assunto. Qualquer dúvida que você tiver em qualquer um dos posts da série ‘Vida Saudável’ deixe nos comentários que tentarei ajudar na medida do possível. Ou se tiver dúvida sobre algum assunto específico e quer que a gente fale sobre ele aqui no blog, deixe a sugestão nos comentários. <3

erica

36 anos, de São Paulo, gestora de moda. Filha de pai japonês e mãe nordestina (Pi), é paulistana de nascença, mas já morou em Manaus,...

>> Veja mais posts dessa autora

Uma das coisas que mais nos dá prazer e nos diverte aqui no Acordei Disposta são as montagens que publicamos no nosso perfil no Instagram (que, se você não conhece, tem que ir conhecer!). A enorme maioria delas é feita pela Erica e eu e a Ju as vemos só quando são publicadas, junto com vocês. Por isso sempre tem comentário nosso nessas postagens, já que elas são novidade pra gente também. Aposto que isso vocês não sabiam, né? 😉

qutoes-engracados-fitness

A Erica tem um senso de humor muito bom e vira e mexe gostamos de rever o que já foi postado (e dar risada de novo, é claro. Hehehe). Então, para ficar mais fácil pra gente fazer isso e para vocês terem um lugar com todas as postagens guardadinhas e organizadas, criamos um perfil do Acordei Disposta no Pinterest.

qutoes-motivacao-fitness

Lá vocês podem ver as imagens separadas por boards no nosso perfil, pinar e guardar nos seus boards. Para ver quando adicionarmos novas imagens, é só seguir nosso perfil. Fácil, né? Esperamos que vocês gostem. 😉

ana

32 anos, do ABC Paulista, diretora de arte. Já nadou, jogou futebol, correu, praticou musculação... Mantém a disposição se alimentando bem e se mexendo regularmente.

>> Veja mais posts dessa autora

Hoje faltam exatamente 193 dias para o início das Olimpíadas Rio 2016. Para as Paralimpíadas falta um pouco mais, 226 dias exatamente. Pensando em meses, são pouco mais de 6 para uma e 7 para a outra. Sabendo que o tempo tem essa mania doida de voar, com certeza os eventos vão começar logo logo. 😉

Não sei vocês, mas eu ADORO Olimpíadas. Minha primeira memória é de 1992, quando eu assistia aos jogos de vôlei das seleções brasileiras feminina e masculina nas Olimpíadas de Barcelona, não perdia um. Acho que essa é a Olimpíada mais viva na minha memória porque eu também adorava o desenho animado do Cobi, o mascote dessa edição, que passava na TV Cultura aqui em São Paulo.

Gosto de assistir às provas de ginástica, natação, vôlei, judô, hipismo… são esportes super interessantes e que, infelizmente, não são transmitidos pela TV com tanta frequência. E aí, nas Olimpíadas, eu me esbaldo. As Paralimpíadas são ainda mais interessantes, é impossível não acompanhar algum atleta e pensar em toda a superação e conquista que é para ele estar ali representando o país. Lindo de se ver.

Com a proximidade do evento, fica a dúvida: como é o calendário esportivo para as competições? Se eu quiser, ainda dá tempo de comprar ingresso para alguma delas? Pois é, eu também estava com essas dúvidas, então vem cá que te conto tudo.

Olimpíadas Rio 2016

Esse é o calendário dos jogos. Clica nele para ver maior! ;)

Esse é o calendário dos jogos. Clica nele para ver maior! 😉

Os jogos acontecem entre 5 e 21 de Agosto. Como a cidade-sede é o Rio de Janeiro, a enorme maioria dos jogos acontecem por lá, divididos em 4 regiões: Barra, Deodoro, Maracanã e Copacabana.

O futebol é o único esporte que terá datas e locais diferentes. Por ser uma competição um pouco mais extensa, os jogos começam no dia 3 de agosto, antes mesmo da abertura oficial do evento. Alguns jogos acontecerão fora do estado do Rio de Janeiro, aproveitando a estrutura erguida para a Copa do Mundo de 2014. Belo Horizonte, São Paulo, Manaus, Brasília e Salvador receberão algumas partidas, mas as finais feminina e masculina acontecerão no Maracanã.

Os ingressos já começaram a ser vendidos em dezembro, mas ainda tem bastante opção à venda. Vale a pena dar uma olhada e garantir a presença em alguma competição. Com preços a partir de R$40, os ingressos podem ser comprados através do site oficial e pagos com cartão de crédito, boleto, transferência ou débito bancário, sempre à vista. O limite de compras é de 4 ou 6 ingressos por sessão, dependendo do esporte. Ou seja: caso queira mais ingressos, terá que iniciar uma nova sessão.

Aqui você pode encontrar todas essas informações mais detalhadas, inclusive com a divisão de esportes por regiões.

Paralimpíadas Rio 2016

calendario-paralimpiadas-rio-2016

Calendário da competição. Clica nele para ver maior. 😉

As Paralimpíadas acontecem em setembro, entre os dias 7 e 18. Serão mais de 4 mil atletas, de 179 Comitês Olímpicos. A divisão das competições será também em quatro regiões: Barra, Deodoro, Maracanã e Copacabana. O evento não terá competições fora da cidade-sede.

Os ingressos custarão a partir de R$10, com a opções de meia-entrada. Serão vendidos até no máximo 8 a 12 ingressos por sessão através do site oficial. Comprando pelo site não há a opção de parcelamento e o pagamento pode ser feito com cartão de crédito, boleto, tranferência ou débito bancário.

Neste documento você pode ver mais informações, inclusive quais esportes ocorrerão em qual região.

E aí, se anima a ir à alguma competição? A gente aqui tá doida pra conferir de perto algumas delas, estamos nos organizando para isso. 😉

ana

32 anos, do ABC Paulista, diretora de arte. Já nadou, jogou futebol, correu, praticou musculação... Mantém a disposição se alimentando bem e se mexendo regularmente.

>> Veja mais posts dessa autora

Vou aproveitar a vibe de mãe em casa com as crianças nas férias + verão e seguindo a linha do post da semana passada, resolvi fazer mais um post juntando esse combo que amo de paixão 😉

Hoje eu vim falar sobre o acessório inseparável das meninas na hora de tomar sol: a camisetinha com proteção solar. Por que é meu item inseparável? Porque eu chego na praia ou na piscina e gosto de ter o mínimo de trabalho possível #prontofalei e quando falamos de crianças, a gente sempre se preocupa com alguma coisa, então eu sempre escolho as opções mais práticas para eu ter um minutinho de sossego, hahahaha.

Brincadeiras à parte, eu morro de medo de tostar as meninas no sol e ficar chamando para passar protetor o tempo todo é uó, tanto para elas quanto pra mim. Então é só enfiar a camisetinha, passar protetor no rosto e nas pernas e fim. Ah! Tem que passar protetor solar no vão que fica entre os cabelos quando amarramos pra não tostar o couro cabeludo.

rebeca-camiseta-uv

Rebequíssima com a camisetinha da Tribord herdada da Rafa

Existem várias opções dessas camisetinhas no mercado, mas as que uso são as de manga longa da Tribord, marca comercializada e desenvolvida pela Decathlon. Isso não é um publipost (de verdade!) e explico as razões de usar essa marca: preço super acessível, durabilidade, fácil de encontrar e proteção UPF 50+. Procurei em vários lugares essas camisetinhas para comprar antes de ir na Decathlon e só lá achei opções por menos de R$ 100,00 (se vocês souberem de outros lugares com preço bom, deixa a dica aê nos comentários). E sobre usar manga longa: tenho medo de tostar o antebraço delas :/ Outro ponto: sempre compro a camisetinha um pouco maior, assim não fica agarrando o corpinho e incomodando a cria.

camisetas-uv-tribord-infantil

O único problema que tenho encontrado recentemente é que às vezes a Rafa não vê as crianças usando camiseta igual a ela e pede para tirar, a gente tira um pouquinho e como a Rafaela é boa de conversa a gente explica e ela logo coloca de novo. Outro ponto: quando chegamos na praia/piscina antes das 10:30 eu deixo elas um pouquinho sem a camiseta para tomarem um solzinho e ajudar na produção da Vitamina D.

Então, mamães que amam tomar um sol com um pouquinho de sossego, camisetinha das crias 🙂

 

 

juliana

Quase 38, Paulistana de coração há 16 anos. Cuidadora das finanças alheias, mãe de 2 lindezas. Já treinou Vôlei, Tae Kwon Do, tentou natação, judô,...

>> Veja mais posts dessa autora

Na primeira parte falei sobre alguns passos para começar a ter uma vida mais saudável, termo que, diga-se de passagem, está em alta. Seja nas redes sociais, grandes portais, na TV, revistas, boca do povo, nunca se falou taaaanto sobre essa tal ‘Vida Saudável‘ ou ‘Estilo de Vida Saudável‘.
Pra mim ter uma vida saudável vai muito além de viver de dieta, contar calorias ou ser alocka da ‘cadimia’. Nananinanão, é buscar melhorar em todos os sentidos. É procurar ser uma pessoa mais leve: no corpo e no espírito. 🙂

* Sendo assim, antes de começar este post, peço que leiam a parte 1. Para acessar clique AQUI.

vida-saudavel-2

Vida saudável envolve muito mais do que exercícios e contagem de calorias. Imagem:
mulher se exercitando no chão, by Shutterstock

Leu? Então vamos à segunda parte.

Está tudo bem contigo e tem o aval do médico? Chegou o momento de escolher uma atividade física ou A.F.
Aqui vale novamente a regra dos testes: se não curtir a primeira, tenta uma segunda, uma terceira e assim por diante, até encontrar a “sua”.
Mas recomendo que persista um pouco antes de partir para outra atividade. Às vezes é só o desconforto da adaptação, o que é muito comum. Lembre-se que seu corpo não está adaptado a tantas mudanças de uma vez. Imagine-se parada por um, cinco, dez, vinte anos e do nada você o “força” a fazer algo que, além de novo, exija um bocado dele? Se parada a apenas 1 semana já podemos sentir diferença, imagina para alguém que foi sedentária praticamente a vida toda? Por isso por favor, insista na saúde (uma hora vai, acredite em mim) e não desista de se mexer! *repito isso pra mim o tempo todo. hahahah
Atividades físicas existem aos montes e para todos os gostos, por isso não vou falar de cada tipo, até porque cada uma merece um post completinho e faremos isso no decorrer do tempo. Como o objetivo aqui é ajudar você (iniciante) a começar a se mexer, vou priorizar o ambiente da atividade, até porque depois de escolhido o local, ficará bem mais fácil para você escolher uma A.F para chamar de sua. 😉

Academia

A academia tem muitas vantagens, sendo algumas:

  • Variedade de aulas/modalidades e aparelhos;
  • Treinadores e instrutores à disposição;
  • Vestiário – a maioria possui chuveiros, o que é muito útil pra quem vai trabalhar depois;
  • Estacionamento – em algumas;
  • Segurança.

O que mais gosto em uma academia é o fato dela oferecer tudo o que preciso em um único local (musculação e cardio). E para quem está na fase de escolha de uma A.F, a maior vantagem está na possibilidade de testar aulas que as academias mais comuns oferecem: luta, jump, spinning, step, funcional, dança e por aí vai. Algumas academias tem estúdio de Pilates e até piscina para aulas de natação e hidroginástica. Normalmente é cobrado um valor à parte, mas dependendo do caso, vale muito a pena. É um leque de atividades para você testar, sem enjoar ou gastar uma grana extra.

Mas qual academia escolher?
Para isso sugiro a leitura deste post da Carô. Está supercompleto! 😉

Estúdios, Ginásios e Academias Específicas

Para ser sincera, não tenho experiência recente em academias específicas. Já fiz ginástica olímpica, handebol, judô (só comecei na verdade) e natação, mas foi a muito, muuuuito tempo. rs
E se tem algo que me lembro bem é que além do vício prazer de fazer um esporte e poder me aperfeiçoar nele (o que é irado!), fiz boas amizades e elas foram importantes nesse processo.
Só não fiquei porque né…a gente cresce e se não for seguir carreira esportiva profissional, existem outras prioridades, como trabalho e estudos (larguei tudo pra estudar para o vestibular). Não que você vá se matricular no intuito de fazer novas amizades, mas fazer parte de um grupo que você possa conversar a respeito, aprender mais, apoiar e receber apoio é muito legal. Quando escolhemos praticar um esporte específico, é mais fácil ser constante nele (pelos motivos citados acima), logo a chance de desistência é menor. Lembra quando disse que é melhor insistir antes de partir para outra? Era disso que estava me referindo.

Hoje em dia existem N atividades diferentes, que vão desde o crossfit ao ballet fitness. Para encontrar uma atividade com a sua cara, tem pesquisar bastante! Comece a seguir perfis de academias ou de pessoas que fazem o esporte que você está de olho.
Tem perfil no Facebook? Participe de grupos, converse e não tenha vergonha de perguntar para pessoas que praticam. Pesquise locais, faça orçamentos, peça para assistir as aulas e verifique se tem aulas experimentais (grande parte possui free pass). Assim a chance de se decepcionar ou sentir de saiu no prejuízo, será bem menor.

Atividades ao ar livre

Essa é a melhor opção para quem não curte ficar em um local fechado e/ou gosta de atividades em grupo. No ano passado, quando estava treinando para a meia maratona do Rio, fazia um mix academia + parque. Na academia treinava musculação e no parque os longões. Não consigo ter paciência de correr acima de 10k na esteira. Acho muuuuito chato e mesmo assistindo TV, ficava entediada, ansiosa (olhava para o cronômetro o tempo todo) e não curtia muito a atividade. No parque era diferente, conseguia viajar nos meus pensamentos e até resolvia problemas enquanto corria, aliás, está aí uma vantagem de fazer exercício ao ar livre: é terapêutico.

Para quem não quer somente correr ou andar de bike, existem muitas atividades para se fazer nos parques, como yoga, circuito funcional, trilhas… Hoje em dia é muito comum encontrar grupos de pessoas reunidas fazendo alguma atividade física, seja ela gratuita ou com assessoria esportiva. Aliás, algumas assessorias dão todo o suporte (tendas, lanches, professores) para os alunos. Dá para você desfrutar da atividade ao ar livre e ainda aproveitar toda a estrutura e segurança de um parque.

exercicio-ar-livre

Na praia até eu estava sorrindo desse jeito! Imagem:
Garota disposta malhando na praia. Exercício instruído por um professor., by Shutterstock

Se você mora perto da praia só faço uma pergunta: por que raios você ainda está no sofá?
Sou paulistana, mãããsss casada com um carioca, logo vou bastante ao Rio – inclusive já temos nosso quarto cativo lá na casa da sogra. hahahahhahah 😛
Sempre que vou à praia, morroooo de inveja do povo fazendo circuito funcional na areia. Inclusive já fiz algumas vezes e murry, mas amei. Existem outras atividades, como volei de praia, futebol, corrida…opção é o que não falta.
Quem mora no litoral também pode fazer atividades aquáticas, como natação, surf, SUP (que não é beeeeem uma atividade, mas está valendo). Ai que delícia!

<3

Em casa

exercicio-casa

Em casa qualquer hora é uma oportunidade de se exercitar. Aqui não tem desculpa! Imagem:
Fitness, exercício, vida saudável e dieta. Jovem mulher se alongando no chão enquanto assiste TV em casa. , by Shutterstock

O bom de se exercitar em casa é que você faz seu horário e não há brecha para desculpas. Pode fazer quando tiver um tempinho livre, não precisa se preocupar com roupas e ainda economiza com mensalidades. Não precisa de muito, só um programa ou internet (existem vídeos a torto e à direita na internet e aplicativos de celular), 20 minutinhos (existem aplicativos de atividades em 7 minutos!) e claaaaro, muita disposição para treinar.

A desvantagem é que você não tem o suporte de um profissional e corre o risco de fazer o exercício errado e se machucar. Caso você seja atrapalhada (como eu), ou não possui a mínima consciência corporal, talvez seja mais interessante aprender a se conhecer e executar exercícios da forma correta e depois partir para atividades físicas sozinha. Todo cuidado é pouco!

E aí, deu pra acender uma luzinha na cabeça? Já sabe o que vai escolher: academia, atividade específica, ao ar livre ou em casa? Chegou a hora de escolher as ferramentas de trabalho, vulgo roupas, tênis, etc.

Mas aí entra o assunto do post da semana que vem. hehehehe

erica

36 anos, de São Paulo, gestora de moda. Filha de pai japonês e mãe nordestina (Pi), é paulistana de nascença, mas já morou em Manaus,...

>> Veja mais posts dessa autora