Em março fomos convidadas pela Medtronic para um bate-papo sobre varizes com o Dr. Eduardo Brigidio, o Dr. Sérgio Meirelles e o Dr. Guilherme Peralta, especialistas no assunto. Mesmo não tendo grandes históricos da doença na família, me animei para ir. Tenho um ou outro vasinho que achava suspeito e fiquei curiosa pra saber um pouco mais. Informação nunca é demais, né? Vai que o que eu tinha eram varizes e não sabia? Então simbora aprender um pouco sobre isso.

O que são varizes e quais são seus sintomas

Fonte: Assessoria de Imprensa Medtronic

Fonte: Assessoria de Imprensa Medtronic

Todas nossas veias das pernas têm válvulas para manter o sangue fluindo para o coração e, quando essas válvulas param de funcionar como deveriam, deixam o sangue fluir para trás e se acumular nas veias. E é isso que faz com que as varizes (também chamadas de insuficiência venosa crônica) apareçam. É muito comum que isso aconteça e não é a toa que essa é a sétima patologia clínica mais comum no mundo. Calcula-se que cerca de 80% da população com mais de 60 anos tenha a doença, mas ela pode aparecer em pessoas mais novas também, principalmente em mulheres. A proporção é de 8 mulheres com varizes para cada homem com a doença. E esse dado a gente pode colocar na conta dos hormônios, já que eles são a causa dessa diferença enorme de incidência entre os sexos.

Alguns fatores que influenciam no aparecimento das varizes: hereditariedade, sedentarismo, gravidez, tabagismo, obesidade, ficar muito tempo em pé ou usar muito salto alto ou sapato completamente sem salto. Sempre achei que somente os sapatos de salto causassem varizes, foi ótimo aprender que os totalmente sem salto fazem tão mal quanto. É bom pra gente ficar de olho nos sapatos que escolhe para o dia a dia.

Os sintomas são bem incômodos e podem piorar caso a pessoa não procure tratamento. Varizes não são apenas uma questão estética, em graus avançados podem causar muita dor, hein? Nada de bobear, dá uma olhada nos sintomas:

varizes-sintomas

Alguns sintomas das varizes. Fonte: Assessoria de Imprensa Medtronic

  • Varizes
  • Dores
  • Inchaço
  • Inquietação
  • Câimbras
  • Cansaço
  • Coceira
  • Feridas abertas na pele

Caso você tenha alguns desses sintomas, procure um médico vascular. O diagnóstico geralmente é visual, então você já vai sair da consulta sabendo se tem chances de ter ou não varizes. E uma coisa muito importante: varizes e vasinhos são coisas diferentes. Geralmente os vasinhos tem cor avermelhada ou arroxeada, enquanto as varizes tem coloração azulada ou esverdeada.

Tratamentos

Não existe um remédio que cure as varizes. Eles melhoram os sintomas mas, dependendo do grau da doença, o paciente pode operar ou até optar por injeções de glicose e anestésico. Quem vai decidir isso é o médico, mas de qualquer forma ele vai ter pedir para praticar atividades físicas, emagrecer, dormir com as pernas para cima, evitar a ingestão de pílulas anticoncepcionais, usar meias elásticas no dia a diaevitar ficar em pé por longos períodos.

Para os casos mais avançados, há a opção da operação tradicional e a operação com radiofrequência.

Na operação tradicional há cortes e, dependendo do caso, até fechamento ou remoção de veias. O período de recuperação é um pouco maior e a pessoa deve ficar alguns dias (até semanas) em total repouso. Já na radiofrequência não há cortes ou pontos e o paciente sai do hospital no mesmo dia. O período de recuperação é de 2 a 3 dias, já podendo voltar ao trabalho normalmente. A operação tradicional geralmente é coberta por planos de saúde, já a por radiofrequência ainda não entrou na lista de cobertura.

Aqui a gente deixa um aviso: somente um médico especialista poderá indicar qual é a opção de tratamento adequada a cada caso. Então converse com ele, pergunte detalhes sobre cada tratamento e só então decida pelo tratamento. Eu sei que pensar na diferença de tempo pós-operatório pode ser tentador, mas só seu médico pode indicar o que é melhor para o seu caso clínico.

Prevenção

O melhor é previnir, né? Então presta atenção nessas dicas e tente colocá-las em prática no seu dia a dia:

  • Fique de olho no seu peso;
  • Se mexa! Faça atividades que trabalhem as pernas, como corrida ou caminhada;
  • Quando estiver sentada, eleve as pernas. Uma boa é botar as pernas pra cima quando deitar para ver TV;
  • Sente um pouco quando estiver há muito tempo de pé e levante para andar um pouco quando passar o dia sentada;
  • Roupas apertadas na cintura, virilha ou pernas pioram a circulação sanguínea. Evite-as;
  • Sapatos de salto ou totalmente sem salto devem ser usados com menos frequência;
  • Diminua o sal e consuma alimentos ricos em fibras.